quarta-feira, 20 de junho de 2012

A queridinha de todos: Olive Thomas

Antes de Liz Taylor já existia uma jovem com olhos violeta. Antes de James Dean ou Jean Harlow  chocarem o mundo com suas trágicas  vidas, ela já o tinha feito. Antes de Marilyn assombrar o Hollywood Roosevelt Hotel, ela já assombrava o New Amsterdam Theatre. Apresento-lhes a queridinha de todos, a primeira Flapper: Olive Thomas!

 Olive Thomas

A garota dos olhos violeta

Olive Thomas nasceu Oliva R. Duffy, embora ela dissesse que era Oliveretta Elaine Duffy, em 20 de outubro de 1894, na Pensilvânia. Olive, como era conhecida, não teve muita infância e aos dezesseis anos se casou com Bernard Thomas. O casamento era infeliz, então dois anos depois se divorciaram. 


Depois do divórcio, a garota se mudou para Nova York e foi viver com alguns parentes. Lá arranjou um trabalho de vendedora em uma loja de departamentos em 1914, por brincadeira, participou de um concurso que a elegeu a garota mais bonita de Nova York.


Com a publicidade gerada pelo concurso, Olive logo chamou a atenção de Florenz Ziegfeld Jr., que a adicionou ao elenco das famosas Ziegfeld Follies (produções da Brodway). Logo Olive tornou-se um sucesso, sendo perseguida por centenas de admiradores. Sua beleza chegou aos ouvidos de Alberto Vargas, famoso artista peruano, que foi influenciado pela atriz em várias de suas obras, mesmo depois da morte desta.


Depois resolveu aventurar-se pelo cinema. Lá foi uma das grandes concorrentes da "queridinha da América" Mary Pickford, de quem logo veio a se tornar cunhada, ao se casar com Jack Pickford em 1916. (NOTA: No IMDb consta que Olive afirmava terem se casado em 1916, mas só anunciaram o matrimônio em 1917, sendo que em documentos recentemente descobertos revelam que o casal só se casou em 1918).


Ao lado de Jack Pickford

O relacionamento com Jack revelou-se conturbado, embora apaixonado. A família do marido não a aceitava, pois ela advinha do teatro.  


Os papéis performados por Olive Thomas a levaram a ser a primeira de um novo grupo de sex symbols. Junto às vamps e gaminis, Olive deu origem às flappers. 


Olive não podia esperar para ser mãe, e quando em 1919 seu sobrinho ficou órfão, o casal o adotou. 


Em 1920, numa "segunda lua de mel", Olive Thomas e Jack Pickford viajaram para Paris. Após ingerir mercúrio acidentalmente, Olive foi levada ao hospital e veio a falecer cinco dias depois em 10 de setembro de 1920.


Pintura feita por Alberto Vargas

No cinema
The Flapper Girl
A estreia de Olive Thomas no cinema ocorreu em 1916, contratada da Triangle Picture Corp., ao participar de um episódio de "Beatrice Fairfax". A maior parte de seus papéis eram comédias leves, geralmente interpretando adolescentes, como as outras atrizes da época Mary Pickford e Mabel Normand, o que levou as pessoas a apelidá-la de "baby vamp". 
Mas a fama ainda estava por vir. Em 1918, ela assinou com a Selznick Pictures. Aproveitando a imagem de pequena vamp que a atriz havia recebido, Miron Selznick lançou "The Flapper", em 1920. "The Flapper" foi o grande divisor de águas para Olive Thomas. O papel lançou a moda das flappers, que são as garotas no período entre a adolescência e a idade adulta. As flappers usavam saias na altura dos joelhos, cabelo curto e desafiavam as regras sociais.  O sucesso de "The Flapper" levou a atriz a interpretar papéis semelhantes em seus filmes seguintes, como "Youthful Folly" e "Everybody's Sweetheart", ambos de 1920.

Seu último filme, "Everybody's Sweetheart" foi lançado postumamente.


Olive Thomas fez 22 filmes em sua carreira de quatro anos. Destes 22 filmes, dez ainda existem e apenas dois estão disponíveis em vídeo. 

David O. Selznick acrescentou o "O" em seu nome em memória a quem, segundo ele, havia ajudado a consolidar o nome de sua família na competitiva Hollywood.

Morte
A primeira tragédia de Hollywood
A morte da atriz tão precoce levou à várias teorias de conspirações, tanto que Olive é mais conhecida por sua morte que por seu trabalho nas telas. 

A autópsia realizada pela polícia francesa concluiu que a atriz havia ingerido bichloride mercúrio pensando ser remédio para dor de cabeça.

Bichloride de mercúrio era usado no tratamento da sífilis, doença que Jack portava. Uma das teorias dizem que ao descobrir a doença do marido, portanto acreditando que ele havia sido infiel e que ela possivelmente estava infectada, Olive ingeriu numa tentativa de suicídio. Outra diz que Jack deliberadamente envenenou a esposa, no entanto nunca saberemos a verdade.
Depois do envenenamento com mercúrio, Olive foi levada ao hospital. Ficou cega e teve suas cordas vocais queimadas antes de falecer cinco dias depois. Sua morte foi manchete em todo o mundo. Ela só tinha 25 anos e estava no auge de sua carreira.

Ninguém conseguia acreditar que aquela menina cheia de vida havia ido. Então Hollywood colocou a culpa em Paris, com suas seduções, drogas e tentações. Só que mostrou-se errada quando, nos anos seguintes, Hollywood começou a mostrar sinais sua própria maldição: Virginia Rappe, Fatty Arbuckle, William Desmond Taylor, Wallace Reid... 

O fantasma
Quando Michael Jackson morreu, além da teoria de que ele não havia morrido, surgiram também várias de que tinham avistado o cantor em várias partes do globo e em várias situações.  O mesmo ocorreu com Olive, e tantos outros artistas que faleceram jovens. Na mitologia, Olive Thomas habita o New Amsterdam Theatre em Nova York.


Os melhores textos sobre Olive Thomas estão aqui:





5 comentários:

  1. Seu blog é luxo! Estou seguindo e linkei-o em meu blog. Abraço e seja sempre bem-vinda ao www.salalatinadecinema.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Obrigada por citar meu texto sobre Olive Thomas! considero-a uma linda e talentosa atriz, que morreu por uma dessas tristes fatalidades. É muito bom ver a vida e a carreira dela mais divulgadas na web. Quando puder, assista The Flapper, vale muito à pena.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Triste fim de quem tinha uma carreira gloriosa pela frente. Infelizmente poucos filmes dela ainda estão preservados e, conforme você falou, muitas vezes ela acaba sendo mais famosa pela morte que pelo trabalho. Mas a morte dela acaba revelando muito sobre as ironias da arte e o quanto vale a pena pesquisar mais a fundo sobre a vida e a obra dos bons atores, mesmo quando a carreira deles foi breve.

    ResponderExcluir
  4. Tem um selinho esperando por você em meu blog!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. your blog is absolutely gorgeous(((:

    Wanna follow each other? let me know: follow me and I will follow you back!

    xoxo

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...